Rode Medeiros Coaching

Terceirização da Felicidade

Gosto muito de uma música do Fabio Junior com o título “eu me rendo”. Talvez você se lembre melhor pelo inicio da música “Aonde foi parar aquele menina…”

Apesar do ritmo gostoso e da letra interessante pois relata as idas e vindas do processo de conquista amorosa, a última frase da música fica bonita na poesia mas não na vida real.

“Faça o que quiser eu me rendo mas me faça feliz” passa a ideia de que a felicidade pode ser produzida fora do próprio ser, por outra pessoa, bastando ao ser apenas a passividade.

No entanto, esta terceirização da felicidade: “a minha felicidade não depende de mim e sim do outro” me isenta da responsabilidade de construir a minha felicidade.

Isto pode ser consequência do padrão mental que diz que responsabilidade traz peso e não liberdade; que os erros que certamente cometeremos pelo caminho nos serão paralisantes e não aprendizados!

Consequência também de um padrão mental que diz que felicidade é como o pote de ouro ao pé do arco-íris: só se terá felicidade se conseguir chegar lá.

Mas felicidade não é chegada, é percurso! Portanto, como ninguém pode fazer o percurso da vida, com seus percalços e suas áureas, por ninguém somente por si mesmo, a felicidade só pode ser construída e vivida por nós mesmos.

Portanto, pense:

Eu tenho terceirizado a minha felicidade? Ou eu tenho construído, apesar dos erros, o meu aprendizado do que é ser feliz?

 

Pense nisto!

Excelente semana!

#aprendizado#eumerendo#felicidade#passividade#percurso#potedeouro#processodeconquista#responsabilidade#terceirização

Siga-me no Instagram

/rode_medeiros